Category Archives: imprensa

Exposição Intermitências

Há espaços que pedem arte.

Espaços que só por si estão cheios de uma energia, de uma personalidade, que pedem uma intervenção artística para se revelarem. Por outro lado, há obras de arte que ganham vida em relação com o espaço, em diálogo com o tecto, o chão e as paredes.

Quando as duas coisas se juntam o que acontece não é apenas uma exposição de telas, mas uma instalação onde tudo faz sentido porque tudo se relaciona. É assim a exposição de Catarina Pinto Leite na Sala do Veado, chamada “Intermitências”.

“Tudo o que é subjectivo, espiritual, abstracto e misterioso fascina-me”, disse uma vez a artista. E isso é notório nesta exposição de paisagens abstractas e obscuras. Entre as luzes e a escuridão e a mistura das duas dimensões, estes trabalhos de Catarina Pinto Leite revelam um interesse pelo lado místico que a arte pode encerrar, o lado do espírito. Mas a verdade é que nestas manchas e sombras, reflecte-se um material de que é feita a Sala do Veado, como se cada quadro fosse uma lupa sobre uma imperfeição da parede, que nos leva a viajar além do espaço, dentro do espaço.

O título da exposição, “Intermitências”, refere-se à “ideia de transitoriedade, aludindo a questões relativas ao pulsar da vida, aos intervalos, a processos de interrupção, aos ciclos da natureza, situando a dimensão literal e simbólica da luz/escuridão como elemento primordial da sua prática”, como explica a crítica de arte Sandra Vieira Jürgens no catálogo. A mostra, comissariada por Manuel Costa Cabral, reúne 18 estudos preparatórios a tinta da china e grafite e 20 trabalhos recentes de diferentes formatos nos quais a artista revela uma nova direcção de trabalho, abandonando a figuração e a paisagem mais convencional que antes fazia parte do seu percurso.

in Revista Time Out
Abril 2015

Ver artigo

A luz reinventada nas “Forças da Natureza”

Catarina Pinto Leite expõe trinta telas,a maioria a preto e branco, na Galeria São Mamede, em Lisboa.

O Absoluto, 2010. Óleo s/ tela, 130 x 180cm

O Absoluto, 2010. Óleo s/ tela, 130 x 180cm

A OITAVA EXPOSIÇÃO INDIVIDUALde Catarina Pinto Leite é inaugurada na próxima quinta-feira, na Galeria São Mamede, em Lisboa, onde ficará patente até 15 de Janeiro.

São trinta telas a óleo, a maioria das quais a preto e branco… e cinzentos. Forças da Natureza é o nome deste conjunto de trabalhos, executados «num período muito intenso, de imersão total», diz a pintora à NS’. Embora saídos da mesma «fornada», cada quadro é um caso: «Há uns que me dizem muito e outros que me dizem menos, depende da relação que tive com cada um, mas pintar é sempre um prazer», diz.

No catálogo, o crítico Martim Lapa considera que neste conjunto de obras, «objecto de um aparente minimalismo resultante da ausência de cor, (…) a paisagem está agora despojada de toda a intenção de natureza realista», numa transfiguração que «permitirá todas as interpretações, abrindo para um universo maior de abstracção».

Vasco Graça Moura escreveu a propósito dos quadros da pintora: «A perspectiva tradicional altera–se, a matéria ganha novas consistências, os planos fundem-se ou interpenetram-se de acordo com as pulsões ditadas por um imemorial impulso lírico e onírico, enquanto a luz é reinventada como breve fulgor a irromper inesperadamente do avesso do dia ou das trevas em muda suspensão, aqui e ali, a deixar entrever o inominável e o interdito.»

A artista dedica-se agora apenas à sua própria obra, mas já trabalhou em restauro, na Oficina Ocre. Acabou por abandonar esse trabalho por sentir que ali não havia lugar para a criação, mas ao qual reconhece óbvia importância. «O retoque e as velaturas deram-me mão», revela. Além de Lisboa, Catarina Pinto Leite já teve obras expostas em Madrid, no Porto, na Régua, no Funchal, em Oeiras e no Montijo.

T: J.A.S.

Artigo do DN disponivel aqui.